sábado, 22 de novembro de 2014

Ensaio para o catálogo parte 2.


   Nesta segunda parte mostraremos como foi o processo para fotografar no parque, como o nome da coleção é "Retrato de primavera" colocamos algumas molduras em uma árvore para frisar ainda mais a identidade da coleção.





Usamos muitos ramos de flores, tanto artificiais quanto naturais, elas serão vistas no editorial, porém no lookbook elas têm um papel importantíssimo.





Foi um dia inteiro cheio de aprendizado e muito trabalho, foi o primeiro editorial para alguns de nós, foi bastante enriquecedor, agora estamos trabalhando nas próximas etapas do catálogo, que iremos continuar postando por aqui.

Ensaio para catálogo parte 1


   O dia de fotografar para o catálogo finalmente chegou e vamos mostrar tudo que aconteceu antes e durante as fotos. O lugar que escolhemos para fotografar foi o Parque Ambiental, por ser um lugar cheio de plantas, flores e vida achamos que tinha tudo a ver com nossa coleção, além de aproveitarmos a paisagem que já é linda, ainda montamos alguns cenários para da um toque a mais no editorial. Porém antes de começar os cliques tivemos todo o cuidado com a escolha dos looks que iriam entrar no catálogo, a beleza e objetos para o cenário. Confira algumas fotos do making off.
   A modelo foi Bruna Ferreira, que também é integrante do grupo, para o cabelo fizemos ele meio solto com babyliss nas pontas, preso apenas na frente por uma tiara de trança.



   A maquiagem estava neutra, foi usado apenas tons terrosos nos olhos e nude nos lábios, para que as cores ficassem apenas por conta da roupas e do cenário.



   Enquanto isso outros integrantes faziam o papel do produtor de moda e escolhiam os looks que iriam ser fotografados. 



   No próximo post mostraremos o making off  no local do ensaio, continuem ligados.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Manual do catálogo



    O ponto principal da nossa coleção será o catálogo, teremos ele como trabalho final do Projeto Integrador, por isso falaremos bastante dele e mostraremos todos os detalhes da produção, o catálogo de uma coleção de moda ainda é uma das melhores formas de divulgação. Felizmente se temos um bom programa de edição e uma câmera digital com boa qualidade este projeto pode ser executado, porém é preciso cuidados especiais e atenção aos detalhes, sabendo disso mostraremos um passo a passo de como executá-lo, que servirá tanto para nos orientarmos como para quem estiver pensando em fazer o seu próprio catálogo:

Instruções



  1. 1
    Reúna informações sobre todos os itens fotografados. Você precisa saber os tamanhos, o tipo de material e os preços de todos eles. Anote essas informações.
  2. 2
    Crie um índice para seu catálogo, para que você saiba em que ordem apresentará seus itens. Por exemplo, determine se deseja apresentar camisas nas primeiras páginas, depois calças, etc..
  3. 3
    Determine todos os custos adicionais associados a cada item, como os custos para envio os descontos especiais para pedidos grandes. Anote essas informações e adicione-as às anteriores.
  4. 4
    Selecione os acessórios, como joias, que combinarão com cada roupa. Anote essas informações em sua lista de fotos.
  5. 5
    Faça uma lista de fotos com todas as roupas que precisam ser fotografadas, mais os acessórios que serão colocados com cada roupa. Faça anotações extras para os destaques e planos de fundo de cada uma. Por exemplo, se estiver fotografando uma linha de camisas para uso no campo, você pode querer ter um plano de fundo de árvores ou florestas e apresentar destaques como óculos de sol.
  6. 6
    Contrate modelos ou compre manequins para fotografar as roupas.
  7. 7
    Tire as fotos necessárias dos produtos. Enquanto isso, tire fotos de perto dos materiais ou das diferentes cores nas quais as peças estão disponíveis.
  8. 8
    Escreva as descrições de todos os itens em um documento de texto. Incorpore todas as informações sobre os produtos e os preços, incluindo o frete.
  9. 9
    Crie uma pasta de arquivos para seu catálogo em seu computador, de modo que você possa salvar as informações e textos relacionados a ele.
  10. 10
    Transfira as fotos por upload ao seu computador utilizando os acessórios que acompanham sua câmera digital. Siga as instruções de utilização do manual do equipamento para obter melhores resultados.
  11. 11
    Crie um novo documento em seu programa de design gráfico e configure os parâmetros para seu catálogo. Nomeie o arquivo e salve-o em sua pasta.
  12. 12
    Comece criando o leiaute das páginas. Utilize o índice para saber onde colocar as fotos e os textos de cada item. Importe as fotos e textos de sua pasta à medida que precisar deles.
  13. 13
    Faça algumas impressões de teste assim que o leiaute estiver pronto. Verifique o texto em busca de erros de ortografia, veja se as cores das roupas correspondem às cores reais e analise o leiaute das páginas para ver se não há imperfeições.
  14. 14
    Crie um PDF do catálogo.
  15. 15
    Grave o PDF em um CD e envie-o à impressora (consulte as Referências para criar um arquivo PDF).

Disponível em:
<http://www.ehow.com.br/catalogo-roupas-como_82454/>

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

O conceito


   O desenvolvimento de uma coleção requer muito planejamento e tomadas de decisões, a escolha do conceito é um deles, quando escolhido é preciso ser estudado a fundo, para que possamos traduzi-los nas peças da melhor maneira possível, para que não seja superficial, pois quanto mais informações adquirimos de um conceito mais associações e peças diferenciadas criaremos. Dito isto, gostaríamos de lhes apresentar o nosso conceito:



    Buscando inspiração na natureza e em suas diferentes fases, a primavera foi a escolhida pra alegrar e estampar as peças, nossa inspiração é em uma mulher moderna, feminina e cheia de atitude, para que ela transborde beleza e estilo por onde passar. 

    Nesta coleção, que carinhosamente chamamos de RETRATO DE PRIMAVERA muitas cores se encontram, as peças vão do tom candy até o fresh formando assim um mix de estampas e dando vida e força para as peças. Nossas apostas são vestidos longos, croppeds, saias e shorts jeans, serão peças descoladas e de espirito jovem.
    Misturar o sofisticado com o urbano não será problema, aliás a proposta é exatamente essa, aprender que se vestir bem pode ser confortável, por isso as formas das roupas variam entre as amplas até as mais ajustadas ao corpo. RETRATO DE PRIMAVERA, traduz as muitas facetas da mulher e entende que a moda é a extenção do corpo e a manifestação do ser. 
    
    

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Desenvolvendo um catálogo.

      Catálogo de moda é uma forma bastante comum de divulgação e comunicação de uma marca com o consumidor, no qual são ilustrados vários ou todos os produtos de uma coleção. Sua elaboração deve ser bem planejada, uma vez que envolve uma série de aspectos para ser concretizado, como escolha de um local, elementos da cenografia,  modelo(s), produtos a serem divulgados, tudo é previamente programado, porém requer a participação de uma série de profissionais qualificados, das diversas áreas relacionadas, como publicidade, fotografia e moda. Geralmente são cinco etapas a serem seguidas até o resultado final do catálogo de moda, iremos apresentá-las em posts seguintes, agora ainda estamos no momento no qual surgem milhões de ideias acerca da escolha do conceito e da coleção que iremos desenvolver, fotografar e ilustrar.
Pois até que a coleção atinja o glamour das passarelas, como já imaginamos e desejamos, a muito a pensar, criar e fazer, é um longo passo a passo, que aos poucos iremos mostrar.

     No que diz respeito à coleção, já analisamos o briefing e agora é hora de definir o conceito dela, para isso estamos fazendo uso de um aliado, o mood-board, que tem suma importância como já mostramos antes aqui.



 

 

 

     Pondo literalmente a mão na massa e depois de muita cola, tesoura e criatividade, o mood-board (painel de inspiração) está pronto, ele irá nos acompanhar e auxiliar até a finalização da coleção. Nesse já podemos visualizar quem será nosso público alvo, imaginamos uma mulher moderna, antenada, que sabe se vestir bem, adora roupas coloridas e estampadas. Logo em nossa cartela de cores, haverá muitas cores bem distintas e alegres, além de um leque bem diversificado de estampas, como frutas, céu, florais, étnicas, dentre muito do que ainda vamos criar.

     Por enquanto é só, não deixem de visitar o Tecendo Design, pois esse é só o começo!

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Inspiração e produção de moda!

    Bagagem que trazemos desde o período anterior, o conhecimento acerca da história da moda é essencial a quem deseja atuar na área, seja como designer, stylist ou produtor de moda. Explorar a cultura e indumentária das épocas passadas é um fator enriquecedor e inspirador das criaçõs e composições atuais.
    Pondo em prática, nos foi pedido em uma aula de produção de moda que criássemos look inspirados em um renome, personagem ou até num dado período de décadas atrás.
    Em nosso grupo, dois integrantes realizaram o desafio, baseados em dois momentos distintos, anos 50 e 70, respectivamente.
    Alê retomou aos anos dourados ( anos 50), e desses incorporou um look estilo "bad boy", vestindo peças como calça jeans, t-shirt branca e jaqueta de couro, típicas desse momento de início do rock n roll, surgimento do astro Elvis Presley e também da juventude rebelde.
    

   
    Já Thainara, viajou até a década de 70, usando coroa de flores na cabeça e leve vestido branco, relacionando aos ideais de paz e amor, fortemente difundidos pela juventude da época.


 

    Como hoje a moda é mais famosa por reinventar do que por criar, desenvolver essa atividade foi importante, pois tanto atuamos como stylists, buscando referências e pesquisando para idealizar cada look, quanto como produtores de moda, arranjando cada peça e unindo-as em nossas composições.
   Além de confirmar o quanto conhecer amplamente o cenário da moda, o que ele é e o que já representou,  o âmbito da arte, cultura e ser atento ao entorno, pode nos garantir mais opções e criações ricas em conceito e valores.

SUMMER FOREVER, na passarela!


Após algumas aulas e vários conhecimentos adquiridos acerca da produção de moda, um desafio nos foi lançado, realizar um desfile de moda. Evento esse que há muitos anos surpreende e renova-se cada vez mais, uma vez que sua origem está em reuniões e chás para apresentações de vestidos de alta-costura, reunindo somente a nobreza que eram os únicos possíveis compradores desses artigos na época. Hoje volta-se mais para mídia, envolve uma série de profissionais, todos envolvidos na propagação de uma marca, coleção ou estilista.

O nosso desfile foi realizado em sala de aula, há alguns dias, foi uma micro experiência de tudo que requer a produção de um desfile, mas nos permitiu uma análise de erros e a experiência, que será chave para melhorar nossas produções num futuro bem próximo.

Atuamos como stylists, fazendo a exploração do mood-board, briefing e definição de um conceito para o desfile (o nosso foi SUMMER FOREVER). O que guiou nossos papeis como produtores de moda, responsáveis por uma série de tarefas e ainda seguindo um cronograma, que relatava e agendava tudo que ocorreu antes, durante e depois do evento.

 Iniciamos com a escolha das modelos, busca pelas roupas, calçados e acessórios que vieram de nossos próprios acervos, definição dos looks (NADA FÁCIL, pois tínhamos que usar poucas peças que nos possibilitassem o máximo de composições) e criação das fichas técnicas dos looks que no momento backstage do desfile foram essenciais para facilitar a montagem do look de cada entrada.

Ainda tinha muito a ser feito, no que diz respeito à composição do espaço cênico, envolvendo a escolha do lugar e passarela, na qual não pudemos optar muito, uma vez que seria mantida para todos os grupos, na decoração, usamos garrafas de cerveja (que conseguimos no lixo de um restaurante e reaproveitamos, foram do lixo ao luxo da nossa passarela) com flores enfeitando, dando ideia de jarros de flores, vibrantes durante o verão ( estação escolhida para nosso desfile) e já outras associadas à drinks que refrescam os dias de sol. Aromatizamos o local com uma essência de flores, escolhemos uma trilha sonora alegre e ainda oferecemos como mimo mochilas para carregar tudo necessário para um dia ensolarado de passeio no parque, praia, festa na piscina, ou qualquer lugar que garante um verão inesquecível e para sempre!



 

Croqui de moda!

   
   Croquis é uma palavra francesa eventualmente traduzida para o português que se caracteriza como desenho ou esboço, traduzindo além das palavras, vale dizer que croqui é a capacidade de comunicar seus pensamentos e suas criações em forma de esboço.
    O croqui assim como o mood board é um instrumento de criação, é a fase mais realista do processo criativo, pois nela já se sabe quais estampas, cores e tecidos farão parte da nova coleção. Ao contrário do que muitos pensam o designer de moda não precisa ser um grande ilustrador, apenas precisa de um pouco de técnica.
    

 
 
 
 
   
    Porém, ainda existem algumas empresas em nossa região que dispensam o uso dessa ferramenta, parte por não terem conhecimento e outra parte por acharem perda de tempo. Outras empresas trabalham apenas com o desenho técnico que é uma opção, entretanto, não é munido de tantos detalhes de percepção quanto o croqui possui, como por exemplo, o caimento do tecido.
    Logo, o croqui é primordial para o desenvolvimento de uma coleção, pois dos detalhes dos traços constrói-se a perfeição da peça.
 
"Eu não desenho roupas. Eu desenho sonhos."
Ralph Lauren 
   

   

Vamos pintar com luz?


    Calma! Não vamos pegar uma fluorescente e usar como pincel e nem nada disso... Quando falo em pintar com luz me refiro ao significado da técnica Light Painting.

    Aí você me pergunta: O que é Light Painting?

    E eu te respondo, meu caro:

   São aquelas fotos no escuro, que parece que tem uma pintura mágica de luz que formam desenhos, formas ou palavras e que você quando vê pensa: “OMG! COMO ALGUÉM FEZ ISSO?”

    Essa técnica existe há 60 e poucos anos e vem lá de trás junto com Pablo Picasso. Basicamente, essa técnica consiste em: Mover um objeto luminoso na frente de uma câmera com recurso de longa exposição. Esteja em um lugar totalmente escuro, use roupas escuras pra não correr o risco de sair seu vulto, regule o tempo do obturador para o máximo possível, use papel celofane para colorir a luz do objeto usado. Ah, e sempre é bom usar o bom e velho tripé.

    Se o foco na foto são pessoas é preciso que a mesma esteja totalmente parada. Caso sejam objetos, focar e iluminar diretamente. Letras ou frases, para cada letra apague e acenda a luz usada.

    “E quem não tem câmera? Eu li isso tudo e não posso fazer com meu celular? Que absurdo!”

    Calma! Existe um modo de fazer com o celular. Escolha um local escuro e com poucas luzes, como por exemplo, um toca fitas de um carro no escuro...

    Entre no modo câmera, escolha a opção câmera noturna, desabilite o flash. No modo noturno a câmera será mais lenta, para começar a fotografar e também vai fazer uma exposição mais longa. Antes de clicar no botão de disparo, veja como as pequenas luzes formam desenhos. Aperte em disparar, movimentando o celular fazendo com que as luzes formem desenhos. E voilá! Sua foto Light Painting está pronta!

    Agora só é praticar e melhorar essa técnica do seu modo.

    Se você vai tentar nos conte sua experiência e mande o resultado para nosso blog!




 

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

"Não me custa nada!"



   
 
No último dia 18, aconteceu  na UNIFAVIP um bazar organizado pelos alunos do 2° e 3° período de Design de Moda, foi com esse projeto que participamos da "Semana de Responsabilidade Social". Foram arrecadadas roupas, calçados, bolsas, cintos e acessórios. Além da venda das peças também foi oferecido gratuitamente um serviço de customização pelos próprios alunos. O bazar foi proposto por Flávia Lira, professora da disciplina Planejamento e organização de eventos, para que nós tivessemos a experiência de planejar e organizar um evento, dito isso, nos reunimos em pequenos grupos e dividimos as tarefas, veja a seguir algumas fotos do evento:







   
 
    Ao final do evento, com a sensação de dever cumprido, percebemos principalmente a importância do trabalho em grupo, de como o planejamento garante que o evento seja executado da melhor forma possível.
 


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

FOTOGRAFIA DE MODA - EDITORIAL


    Olá pessoal. Tudo bem? Hoje vamos falar um pouco de um assunto que todos nós amamos “FOTOGRAFIA” e que tal falarmos de “FOTOGRAFIA DE MODA” legal não é? Pois bem!

    
Quero iniciar com uma citação de um dos maiores fotógrafos:

 
“Fotografar, é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração.” (Henri Cartier- Bresson).
 
    É dessa forma que um dos maiores fotógrafos define a fotografia. Mas deixe-me “traduzir”. É fotografar com inteligência e coerência, boa percepção e uma boa dose de paixão pelo projeto. Não importa o estilo ou conceito do seu trabalho, o importante é juntar esses três ingredientes sugeridos por Cartier no ato de fotografar.

    As fotografias antigas de família, se transformaram em coisas quase imateriais, que guardamos em celulares, tablets e computadores. Não pegamos mais aqueles papeis que amarelam, não manipulamos mais aqueles negativos em tiras, nada é feito naquele quarto escuro.
    Como quase tudo que nos rodeia hoje, a fotografia também é meio virtual e meio real e tão perto de nós, que a carregamos no bolso, aos milhares! Essa arte tem se difundido através de redes como: Instagram, Flickr, Tumblr e Pinterest.
    Estamos diante de centenas de aplicativos que possibilitam o surgimento de muitos “gênios” digitais. Porem, Fotógrafos como Cartier- Bresson são poucos, mas com uma boa dose de dedicação e estudo dessa arte aliados ao prazer de criar, fazer, colorir e descolorir, transformar expressar, registrar nos tornamos possíveis artistas e quem sabe FOTÓGRAFOS.
   Segundo dados do site “carreirafashion”, a área profissional de moda se divide hoje, em 140 atividades distintas que se complementam. Dentre elas está a nossa querida “FOTOGRAFIA DE MODA OU EDITORIAL” que se tornou uma das mais rentáveis profissões pelo simples fato da escassez desse serviço no mercado.
   Sabemos que por trás dessa arte que é a “Fotografia de Moda” existe todo uma aparato de equipamentos que precisam ser de boa qualidade como câmera profissional DSLR, objetivas de boa qualidade e modelo como: PADRÃO, ZOOM.
   Então! O que acharam?
   Segue uma “linha do tempo” em câmeras fotográficas. É só escolher e boa sorte!


 - Lambe-lambe: Um verdadeiro laboratório ambulante, fazem retratos e revelam – os dentro da própria câmera, requer muita luz e será usada sempre em ambientes abertos.

 


 

- Compacta: Tem fácil manuseio, baixo custo, porém sem grande quantidade de recursos. Bastante usadas por iniciantes, cabem no bolso e são as mais comuns.

 
 


- Compacta avançada ou Semi - profissionais: Fazem a transição entre as amadoras e profissionais, podem ter visualização óptica ou digital, ótimo zoom óptico, mais caras e pesadas que as compactas e também não exigem conhecimento técnico sobre fotografia.

 

- Mirrorless: Tem corpo de uma compacta, mas com sensor maior e lentes que trocam, oferecem já muitos recursos das robustas DSRL.
 
 


- DSRL: Garantem fotos com boa qualidade de resolução, grande quantidade de acessórios, são versáteis e como pedem um fotógrafo com conhecimento, esse poderá desfrutar de muitas opções, já são mais caras e necessitam de investimentos em acessórios.
 
 


- Médio formato: São analógicas, raras hoje em dia, usadas principalmente para publicidade e fotojornalismo, têm visão superior e invertida e boa capacidade de ampliação.

 

- Grande formato: Semelhante à lambe-lambe, mas está no topo da cadeia, exige também presença de muita luz e é comum na publicidade.

 

 Abraços!

 
Fontes:


domingo, 31 de agosto de 2014

Design e Empreendedorismo, um bom par.

   Enxergar oportunidades, investir nisso e obter satisfação e lucros, é o que visa o empreendedorismo. Logo pela necessidade de criar e também inovar liga-se intimamente ao design e tem sido nosso objeto de estudo.
   Tanto há possibilidade de um designer empreendedor, que acredita, arrisca e aposta naquilo que cria, fazendo de seus rabiscos, negócios. Como os irmãos Campana que criam e transformam o que aparentemente não serve em peças que agregarão à estética dos ambientes.
   Quanto os designers que montam agências de design e trabalham como vendedores de boas ideias e grandes soluções. Lucram, idealizando projetos para os muitos que reconhecem a importância e buscam design, com trabalhos que variam em valores e que são oportunidades de empreender e ser dono do próprio negócio.
   Além das atividades nas quais o designer atua de maneira independente, a sua presença deve ser inerte a todas as empresas que almejam crescer e entrar no mercado competitivo. Ao designer caberá criar o novo, transformar e ressignificar o existente, possibilitando novos usos, maior valor para empresa, assim como maior e mais duradouro retorno. Em outros países, o design é parte de tudo que as empresas desenvolvem e vendo essa importância, pode-se dizer que no Brasil desencadeia-se o ''Boom do Design'', garantindo identidade e qualidade às criações.

" Quinze anos atrás, as empresas competiam pelo preço, agora competem pela qualidade, amanhã será pelo design."
(Professor Bob Hayes, Harvard Business School, “High-level skills for higher value , abril 2007).
 
 
 


A importância do Mood board

Mood board ou painel semântico é uma ferramenta visual usada para auxiliar o designer durante o seu processo criativo, este painel serve para organizar e traduzir visualmente uma ideia e pode ser feito tanto de forma digital, com imagens pesquisadas na internet ou de forma manual, com colagens de revistas, jornais, aplicações de tecidos e quaisquer outros objetos que o ajude a identificar da melhor forma o público alvo a ser atingido. Tudo começa na pesquisa onde a quantidade de informações levantadas acerca da temática envolvida pode ser muito grande, por esse motivo, geralmente o mood board é dividido em três grupos principais: objetos, pessoas e ambientes.

Objetos: Artigos que fazem parte do dia a dia do público alvo e que de alguma forma o inspira e influencia.



Pessoas: O seu público alvo, indivíduos que usufruem do painel de objeto e poderão ser possíveis consumidores.



Ambientes: Lugares onde o público alvo mora ou frequenta.


      
 
    Estes painéis de referências visuais vieram pra facilitar a vida de quem trabalha com criação, uma vez que permitem que você estampe visualmente as suas ideias em algum lugar, exemplificando cores, texturas, formas e estilos, facilitando também a vida do seu cliente, que vai entender o clima que o projeto final terá. Serve não só para projetos de Design, mas para ideias que estão em fase de planejamento visual em geral. E então? Mãos a obra?